DaVita Saúde

Mitos e verdades sobre a doação de sangue

Com a chegada das férias escolares, os estoques dos bancos de sangue caem cerca de 30%. Que tal tirar algumas horas do seu dia para reverter esse cenário e mudar o destino de até quatro pessoas? 

Você pode ser doador se tiver entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, encontrar-se em bom estado de saúde, estar alimentado e ter dormido bem. 

Muita gente atende a esses requisitos, porém ainda hesita em tomar essa importante resolução por acreditar em alguns mitos que cercam a doação. Chegou a hora de conferir se eles procedem ou não.

Será que o sangue doado não vai fazer falta ao corpo?
Esqueça. A reposição começa naturalmente já nas primeiras 24 horas da doação. De qualquer modo, o volume doado, de 450 ml, corresponde a menos de 10% do volume total de sangue de um adulto, que é de cinco litros. Não dá para sentir a diferença.

Há risco de contrair alguma doença infecciosa durante a doação?
Nem pensar. A doação não oferece nenhum risco de contrair doenças infecciosas, uma vez que o material usado no procedimento é estéril e descartável. Se o doador for informado de que apresenta alguma enfermidade, deve entender que isso se refere aos resultados dos testes feitos com o material para a pesquisa de infecções antes do uso do sangue nos pacientes necessitados. 

O sangue pode ficar diferente, mais grosso ou mais fino, depois de doar?
Não. O procedimento não torna o sangue mais viscoso, tampouco mais fino ou mesmo mais fraco. Novamente, vale lembrar que o trabalho de reposição começa nas horas seguintes.

É possível sentir dor no momento da coleta do sangue?
Se considerarmos a picada da agulha, a resposta pode ser afirmativa para os mais sensíveis. A partir do momento em que o sangue começa a ser coletado, no entanto, tudo flui muito bem, sem incômodos.

Ao doar sangue uma vez, tenho que voltar periodicamente ao hemocentro?
Não. Mas quem gostou da experiência está sempre convidado a voltar. Homens podem doar até quatro vezes por ano, com dois meses de intervalo entre uma doação e outra, e mulheres, três vezes, com três meses de intervalo. No sexo feminino, a reposição dos estoques de ferro demora um pouco mais por conta da menstruação.

Mulheres podem doar sangue durante a menstruação?
Podem. A menstruação não constitui empecilho para a doação por se tratar de uma perda prevista pelo organismo e, além disso, num volume reduzido.

Fumantes são aceitos como doadores de sangue?
Apesar dos males do cigarro à saúde do fumante, o tabagismo não impede a doação. No entanto, é necessário ficar duas horas sem fumar antes do procedimento. Também não se recomenda que o doador acenda um cigarro logo após a coleta, sob o risco de desmaio ou tontura.

Para saber mais, clique aqui.