DaVita Saúde

Aprenda a cuidar da sua voz. Confira dicas

Como qualquer outra estrutura do corpo, a voz também precisa de atenção para não sofrer alterações, envelhecimento precoce – sim, ela muda com o passar dos anos – e impactos dos distúrbios no aparelho fonador, dos quais os mais comuns são os calos, ou nódulos, nas cordas vocais.

Essa missão exige, além de disciplina, um estilo de vida saudável. Segundo a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, o fumo e o álcool comprometem a saúde vocal. O cigarro afeta os tecidos da laringe, justamente onde estão as cordas vocais, e aumenta os riscos de câncer nessa cavidade. As bebidas alcoólicas, por sua vez, promovem inicialmente um efeito anestésico, com possibilidade até de suavizar problemas. Tal qual o cigarro, são irritativas e ainda diminuem o controle sobre a voz – podendo resultar num abuso vocal, como falar muito alto e gritar.

A exposição ao ar condicionado igualmente pode ser prejudicial, não pela temperatura mais fria do ambiente, mas pela falta de umidade que afeta todo o aparelho fonador. A solução, dizem os especialistas, é beber bastante água, que hidrata as cordas vocais e reduz o esforço necessário para produzir o som da fala.

A recomendação de comer maçã para complementar os cuidados não é mito. Os fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas indicam o consumo da fruta por conta de suas propriedades adstringentes – ou seja, ela ajuda a limpar a boca e a laringe, melhorando a ressonância da voz. Fora isso, a mastigação que a maçã exige solta a musculatura responsável pela articulação das palavras.

Ainda dentro do quesito alimentação, vale lembrar que extremos de temperatura irritam a laringe, de acordo com os especialistas, e comprometem a saúde vocal. Os fumegantes, particularmente, fazem mal inclusive para o esôfago. O mais seguro, portanto, é optar por alimentos e líquidos nem tão gelados nem muito quentes.

 

Como educar a voz

 

Além de tudo isso, a forma de usar a voz precisa ser educada. Uma vez que ocasiona um forte atrito entre as cordas vocais, o ato de gritar constantemente acaba dando origem a lesões na região – quem nunca acordou rouco depois de se empolgar em um show ou uma partida de futebol? Por outro lado, sussurrar com frequência causa impacto ao aparelho fonador porque, para a emissão do sussurro, há necessidade de tensão para bloquear o som natural da voz. Na prática, deve-se buscar o equilíbrio, ou seja, falar sem fazer força e abrir bem a boca para articular cada palavra, evitando ambientes muito ruidosos, que acabam resultando em abuso vocal.

O cuidado pode precisar ser ainda mais intenso se a voz for, digamos, um instrumento de trabalho. Atores, advogados, apresentadores, jornalistas, radialistas, professores, cantores, políticos e, mais recentemente, palestrantes, operadores de telemarketing e youtubers, entre muitos outros, soltam o verbo no dia a dia para defender suas ideias e vender seu peixe. Para essas pessoas, a realização de exercícios vocais com fonoaudiólogo pode ajudar a manter a voz bonita e minimizar o risco de lesões.

 

Problemas com a voz. O que fazer?

 

Até aqui, tratamos de prevenção. Mas, se já houver queixas, apenas essas providências não bastam. De acordo com os especialistas, qualquer dificuldade deve ser valorizada. Isso vai desde mudanças perceptíveis na voz – ficou fina, grossa ou entrecortada –, passando por cansaço ao falar, pigarro e tosse, até rouquidão e dor ao engolir. Vale observar se as manifestações aumentam quando há uso excessivo da voz ou se diminuem em momentos de repouso vocal. Nesses casos, procure logo um otorrinolaringologista e não caia na tentação de recorrer a soluções caseiras, como fazer gargarejos, que podem até piorar o quadro.